Agentes

O projeto de Reforma Administrativa, aprovado pelos deputados na última semana, trouxe para a Assembleia importantes discussões sobre a organização do Estado. Uma delas tratava da locação dos servidores do Sistema Socioeducativo de Minas. Durante as discussões, os servidores contestaram a proposta original do Estado que previa transferência para outros órgãos, como a Fundação Caio Martins. O deputado Cabo Júlio (PMDB), vice-líder de governo na ALMG, defendeu a permanência dos servidores na Secretaria se Segurança Pública (Sesp).

Nesta terça-feira (12), representantes do Sindicato dos Servidores do Sistema Socioeducativo do Estado de Minas Gerais (Sindsisemg) se reuniram com o parlamentar para agradecer pelo apoio na votação do Projeto de Lei (PL) 3.503/16 que garantiu a permanência dos agentes socioeducativos na Sesp. Na ocasião, o presidente do Sindsisemg, Alex Gomes, ressaltou que o apoio do parlamentar foi fundamental para a conquista da categoria. “Este nosso pleito, de não perder o vínculo com a Sesp, é importante, pois queremos criar uma identidade voltada para a segurança pública”, disse.

Durante o encontro ainda foi ressaltada a importância do Projeto de Lei 1.973/15 que dispõe sobre o porte de arma de fogo para os Agentes de Segurança Prisional e os Agentes Socioeducativos. Cabo Júlio explicou que o porte visa à segurança do agente. “O projeto não prevê que o agente use armas dentro da unidade, assim como o agente prisional não usa dentro das celas” explicou. O PL, que está pronto para ser apreciado pelo plenário da ALMG, deve ser votado em agosto.