1_pmdb_1169.jpg.g

O CIBAPAR – Consórcio Intermunicipal da Bacia Hidrográfica do Rio Paraopeba, realizou, na manhã de hoje, 30 de agosto de 2013, juntamente com a Prefeitura de Brumadinho, o Fórum de Prefeitos da Bacia do Paraopeba. Seu objetivo foi discutir a cooperação institucional pelas águas do Paraopeba dos 48 municípios que fazem parte da Bacia.

O evento contou com a participação do deputado federal e presidente do PMDB de Minas Gerais, Saraiva Felipe, do vice-prefeito de Brumadinho e atual presidente da CIBAPAR, Breno Carone, dos prefeitos de Brumadinho, Antônio Brandão, de Nova Lima, Cássio Magnani, de Pará de Minas, Antônio Júlio, de Betim, Carlaine Pedrosa, de Matozinhos, Antônio Divino, de Conselheiro Lafaiete, Ivair Cerqueira, de Itaúna, Osmando Pereira, de Belo Vale, José Lapa dos Santos, de Ibirité, Pinheirinho, de Caetanópolis, Evaldo Luiz, e da presidente da Câmara Municipal de Brumadinho, Renata Parreiras, dentre várias outras lideranças.

Na oportunidade, foi debatido a respeito das prioridades das cidades participantes no que diz respeito aos problemas relacionados à Bacia e foram apresentadas sugestões que possam transformá-la positivamente.

Segundo o vice-prefeito e presidente da CIBAPAR, Breno Carone, o objetivo é que, no ano que vem, quando o consórcio completar 20 anos de existência, haja inúmeros projetos bem definidos e resultados apresentados.

“Esta caminhada começa hoje, através dos prefeitos, vice-prefeitos, secretários de saúde e tantas outras lideranças dispostas a rever o que pode ser feito de positivo para a Bacia do Paraopeba”.

Carone citou o município de Brumadinho como exemplo no que diz respeito ao aumento do nível da água do rio em período de chuvas e ressaltou os inúmeros prejuízos sofridos em decorrência disto.

“A cidade, muitas vezes, fica isolada, pois a única estrada que dá acesso à cidade fica completamente inundada”, sinaliza.

O presidente do PMDB de Minas Gerais, deputado federal Saraiva Felipe, que encabeçou, na Câmara dos Deputados, a criação de uma Frente Parlamentar de Circuitos Turísticos, ressaltou que a mesma abrange, em Minas Gerais, as trilhas e caminhos que já são trabalhados turisticamente pelo estado e, também, os consórcios referentes às bacias hidrográficas.

“No caso desta bacia, há uma necessidade que o próprio nome já nos ajuda a meditar. No tupi-guarani, Paraopeba ou Paraipeba significa: rio das águas rasas ou pouco profundas. Atualmente, com o crescimento da população e das cidades, há um enfrentamento de inundações em períodos de muita chuva, ou de escassez de água, que acaba não conseguindo servir à população”.

De acordo com Saraiva, tem sido realizado um empenho para reconstruir ou revitalizar o consórcio do CIBAPAR.

“Nós temos aqui representantes da FUNASA e da CODEVASP, que hoje abrange 242 municípios e é um órgão muito flexível para o repasse de recursos e pode fazer muito pela região, através do CIBAPAR”.

O deputado falou ainda da importância do pensamento coletivo dos municípios, a partir de consórcios, que desempenham papel de extrema importância e superam a ação isolada de determinada cidade.

“Com o apoio do governo federal e estadual, este consórcio será capaz de captar inúmeros recursos para a área do meio ambiente na região do Paraopeba”, ressaltou.

Os demais palestrantes convidados abordaram a relação de suas instituições com a cooperação pela água e explicaram de que forma o CIBAPAR pode auxiliar os Prefeitos na obtenção de recursos para sanar questões como o abastecimento de água, a disposição apropriada de esgoto, a dispensa e o tratamento de resíduos sólidos, as enchentes e a despoluição do Rio Paraopeba.

Outro ponto importante debatido durante o Fórum foi a respeito da redução de custos para municípios e parceiros.

Os participantes ouviram palestras do diretor de Saúde Ambiental da Funasa, Antônio Henrique de Carvalho Pires, e da diretora geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Marília Carvalho de Melo.

Assessoria de Comunicação PMDB-MG