1_pmdb_890.jpg.g

O senador Clésio Andrade (PMDB-MG) defendeu a obrigatoriedade de que o certificado de licenciamento e a nota fiscal dos veículos automotores especifiquem a quantidade de emissão de gases poluentes e de gás carbônico (CO2), gás de efeito estufa desses veículos, visando a melhoria do meio ambiente.

O senador mineiro e presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT) é autor de projeto nesse sentido, já aprovado pelo Senado e pronto para votação pela Comissão de Viação e Transporte da Câmara dos Deputados.

Clésio Andrade lembrou que os veículos automotivos são o segundo maior emissor de dióxido de carbono, responsáveis por 8,6% das emissões. Tornar a informação obrigatória, segundo o senador, vem ao encontro da iniciativa do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) de, em comum acordo com 25 fabricantes, aplicar a cada veículo uma etiqueta de eficiência energética.

“Se o consumidor vai ser informado sobre o consumo previsível do veículo, na hora da compra, é importante que ele também saiba o quanto de gases poluentes e CO2 aquele motor em movimento despejará na atmosfera, para que faça uma escolha consciente. Tanto para gastar menos combustível e economizar, como para poluir menos”, concluiu.

Assessoria de Comunicação Senador Clésio Andrade (PMDB-MG)