isauro-guilherme-bergamini-almg

Diagnosticar a situação da população idosa em Minas Gerais e a necessidade de políticas públicas voltadas para esta faixa da sociedade. Este foi um dos objetivos da Comissão Extraordinária do Idoso da Assembleia durante o ano de 2016. Uma das preocupações da Comissão, durante seu trabalho, foi traçar um diagnóstico da população idosa em Minas. Hoje, 13% da população brasileira está na terceira idade. Número que tende a crescer. A estimativa é de que em 2040 esta faixa represente 26% do total.

O deputado Isauro Calais (PMDB), presidente da Comissão, avaliou como positiva a criação do colegiado que, recentemente teve ser relatório final aprovado pelos parlamentares. “Realizamos inúmeras reuniões e audiências públicas, e também tivemos inúmeros requerimentos aprovados. Uma cidade como Belo Horizonte, por exemplo terá, daqui 20 anos, 50% de sua população na terceira idade. Devemos preparar a cidade para este envelhecimento”, alertou.

Preocupado com a natureza da violência cometida contra os idosos, Isauro ressaltou a importância de legislar sobre o assunto. Segundo ele, os índices registrados são alarmantes. “O idoso é agredido em casa, na rua, além dos crimes financeiros que são cometidos contra esta faixa da população. Hoje, o idoso não tem qualidade de vida regular em Minas Gerais. Queremos, com a Comissão, elaborar leis importantes, fazendo com que viver e envelhecer seja um momento de felicidade e conforto”, disse o parlamentar.

Segundo Isauro, é necessário que haja maior comprometimento do Estado para com a terceira idade. “Precisamos de acessibilidade, segurança, além de projetos que possam incluir cuidadores de idosos na saúde da família. Devemos olhar, também, para idosos abandonados em hospitais asilos e abrigos. Existem pessoas que estão nestes locais há mais de 20 anos e que nunca receberam a visita de um parente”, lamentou o deputado.

Para Calais, uma alternativa para coibir o abandono e a violência é a implantação de delegacias especializadas. “Em Juiz de Fora existe uma delegacia especializada que cuida deste trabalho, além de buscar pelos familiares. Queremos que Estado implante delegacias como estas em cidades com mais de 60.000 habitantes”, defendeu. Ainda segundo Isauro, a criação de Conselhos pode ajudar a combater o problema, mas segundo ele, o número é baixo em Minas. “Não existem Conselhos do idoso em 70% dos municípios em Minas Gerais”, afirmou.

A Comissão Extraordinária do Idoso foi instalada, na Assembleia, em novembro de 2015. Nesse período, foram realizadas sete audiências públicas e quatro reuniões com convidados. As discussões reuniram gestores, especialistas e representantes da sociedade cvil que objetivaram fazer diagnóstico da situação do idoso em Minas e propor intervenções. A expectativa do parlamentar é que a Comissão seja transformada em permanente em 2017.