Comissão Extraordinária do Idoso debate sobre geriatria, saúde do idoso e envelhecimento saudável

Durante a Comissão Extraordinária do Idoso da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o presidente da comissão, deputado Isauro Calais (PMDB), destacou a importância de analisar a situação dos idosos nos municípios mineiros.“O idoso merece uma velhice mais digna e respeitada pelo poder público. As pessoas que lutam pelos direitos dos idosos mereciam ser mais ouvidas pelo governo. É fundamental a comissão fazer uma análise mais detalhada nos abrigos mineiros, descobrir quem está abandonado e responsabilizar os familiares por isso”, destacou o parlamentar.

A coordenadora do projeto PUC Mais Idade, Anna Cristina Pegoraro de Freitas se diz preocupada com parte da população que demanda cuidados especiais. “Muitas vezes os institucionalizados e os que ficam acamados são agredidos por seus familiares, os mesmos que cuidam deles. E a responsabilidade por esse idoso deveria ser dividida entre Estado e sociedade. Falta infraestrutura para atendê-los. Centros de média e alta complexidade para idosos, por exemplo, não existem”, pontuou.

O coordenador Especial de Políticas para o Idoso, Dilson José de Oliveira, falou da implementação do Plano Mineiro de Atenção do Idoso e da criação de um conselho regional com essa finalidade. Ele também criticou o fato de que os Poderes Executivo e Legislativo sempre realizam eventos tendo o idoso como público-alvo, mas não dedicam recursos à efetivação de políticas públicas. “Córrego Danta, por exemplo, é a cidade mineira com maior número de idosos no Brasil e não tem uma delegacia para proteção do idoso”, criticou.

Os deputados que integram a Comissão do Idoso fizeram algumas observações. Destacaram que mesmo em momento crise financeira, o governo deveria dedicar recursos aos idosos. Foi destacada também uma experiência em Sacramento (Alto Paranaíba) onde se criou um centro de repouso diário para os idosos. Também foi exaltada a participação dos voluntários que garantem a sobrevivência das entidades sociais.

Projeto PUC Mais Idade

O PUC Mais Idade existe há 12 anos e tem como objetivo possibilitar aos idosos o envelhecimento de forma mais ativa, estimulando o convívio social e o exercício da cidadania. A coordenadora do projeto, Anna Cristina Pegoraro de Freitas, explicou que a iniciativa consiste na participação de idosos das comunidades próximas dos campi em oficinas sobre envelhecimento, sexualidade, cultura, reciclagem, cidadania, entre outras. Segundo ela, existe uma grande preocupação da universidade com a elevação do número de pessoas acima de 60 anos na população brasileira. “Eles também têm aulas de informática e queremos que se posicionem como cidadãos e cobrem seus direitos. Todos merecemos envelhecer bem e com saúde”, salientou.