1_pmdb_1035.jpg.g

Na semana em que a Câmara Municipal de Manhuaçu aprovou por unanimidade a doação pela Administração Municipal de parte do terreno adquirido em Realeza para a construção do IFET, o deputado federal João Magalhães (PMDB), em visita aos seus familiares para passar o feriado da Semana Santa, conversou com a reportagem do DIÁRIO DE MANHUAÇU sobre esta importante conquista para a população de toda a região.

Para o deputado federal, ganha Manhuaçu, que dará um passo importantíssimo no desenvolvimento educacional, com a vinda deste empreendimento federal, e ganha toda a região, que é reconhecida por ser grande exportadora de alunos para os grandes centros do Estado. João Magalhães recordou o início do processo, que resultou na escolha do município de Manhuaçu para sediar uma unidade desta escola técnica.
“Participando da Comissão de Orçamento da Câmara Federal, nós víamos o interesse de deputados federais de outros estados brasileiros para a implantação dos institutos federais de educação, antigo CEFET, hoje IFET, em seus municípios. Isso despertou a nossa curiosidade, procurando assim conhecer melhor o que era o instituto. Através da amizade com a deputada Maria do Rosário (PT-RS), esposa do secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (SETEC), Eliezer Moreira Pacheco, que era a pessoa que cuidava desta demanda, marcamos uma audiência e começamos a tabular a implantação da unidade em Manhuaçu”, contou o deputado.
João Magalhães destacou que foi um processo muito longo, devido à demanda que já era grande na época, com a implantação de IFETs em regiões vizinhas a Manhuaçu, como nas cidades de Muriaé, Ipatinga, Governador Valadares, Viçosa e Ibatiba. Esta última, apesar de estar no Estado do Espírito Santo, é muito próxima à terra do café. Foi então provado ao Ministério da Educação que, apesar destes municípios estarem em regiões próximas a Manhuaçu, a distância e o potencial de nossa cidade justificava a implantação de uma unidade educacional aqui também.
“Fizemos o contato com o reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora. Realizamos uma reunião aqui em Manhuaçu juntamente com o então prefeito Sérgio Breder, que demonstrou disponibilidade. E nesta época deparamos com o primeiro grande problema, que era o terreno para a construção desta instituição de ensino”, lembrou o deputado federal.

PROBLEMAS

Ele destacou que a topografia acidentada de Manhuaçu e região dificultava a aquisição de um terreno que oferecesse as condições necessárias para a implantação do IFET. “Quando se achava um terreno bom, era de difícil acesso e quando encontrávamos um terreno de fácil acesso, esbarrava-se na questão da dimensão insuficiente”, explicou João Magalhães.
Deste modo, conforme contou o deputado federal, passaram várias administrações e todos demonstraram interesse, mas sempre se esbarrando em questões que dificultavam a aquisição, como até mesmo questão de espólio, em alguns casos. Até que a administração atual conseguiu desapropriar uma área em Realeza, que atendia às especificações. “Sabemos que a escolha deste local muito agradou à população deste distrito e dos demais distritos vizinhos, desagradando a muita gente da cidade de Manhuaçu, que preferia que o IFET fosse implantado na cidade. Mas o fato importante é que o terreno foi adquirido para o município. E quero parabenizar a Câmara Municipal de Manhuaçu, que aprovou unanimemente a doação do terreno”, ressaltou.

QUASE PERDIDO

Um empreendimento importante que Manhuaçu quase perdeu, relatou o deputado. De acordo com ele, quando a presidente Dilma Rousseff aprovou a implantação de novas universidades federais, campus e escolas técnicas, Manhuaçu chegou a não figurar na lista de cidades beneficiadas. “Manhuaçu chegou a ficar dois dias excluída. Então nós lutamos, fizemos um acordo com o deputado Antônio Andrade e o deputado Reginaldo Lopes. Havia dois IFETs para sair, porém haviam três candidatas para recebê-los, sendo Januária, Paracatu e Manhuaçu. Fizemos um acordo com o secretário, que Paracatu seria agraciada com uma extensão universitária. Deste modo Manhuaçu passou a ser a segunda contemplada”, relembrou o deputado.

IMPORTANTE CONQUISTA

João Magalhães apontou a dimensão desta conquista. Para ele, muitas pessoas apenas darão a devida importância após a implantação definitiva do IFET, quando ele estiver realmente funcionando. E quando os seus filhos e netos não tiverem mais a necessidade de se deslocarem a outras cidades para estudar, o que gera altos custos financeiros. “Estamos implantando na região de Manhuaçu uma mini universidade federal”, destacou.
“Agora vamos apenas aguardar, porque o Instituto Federal já está com os recursos, com o projeto aprovado e licitado. Certamente eles já vão iniciar a implantação desta grande conquista para a região, que é o IFET de Manhuaçu”, concluiu o deputado federal João Magalhães.

Diário de Manhuaçu