1_pmdb_1150.jpg.g

Em visita a região de Manhuaçu, no último sábado, 3 de agosto, o deputado federal João Magalhães (PMDB-MG) informou sobre o seu encontro com o ministro da Agricultura Antônio Andrade que, na oportunidade, lhe confirmou a entrevista coletiva que acontece, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) hoje (05/08), para anunciar as medidas de apoio à comercialização para a cafeicultura brasileira.

O ministro transmitiu ao deputado o cancelamento da reunião do Conselho Deliberativo das Políticas do Café, agendada para quinta-feira (1). De acordo com João Magalhães, o ministro Andrade decidiu apresentar nesta entrevista as ações preparadas por sua pasta para atender às reivindicações da categoria.

“O ministro me informou que esteve reunido nesta quinta-feira com o deputado federal Silas Brasileiro, que é presidente executivo do Conselho Nacional do Café e com o presidente da Comissão Nacional do Café da Confederação da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Breno Mesquita. Durante esta reunião, ficou agendada a entrevista, que vai acontecer às 16 horas desta segunda-feira. Ele me informou também que foram convidados representantes do setor cafeeiro de todo o país, inclusive os representantes de nossa região que estarão presentes neste evento”, disse o deputado federal.

João Magalhães destacou a luta do ministro para atenuar os problemas enfrentados pela cafeicultura nacional e, em especial, a cafeicultura da região leste de Minas Gerais. “O ministro Andrade vem trabalhando nas últimas semanas para que sejam liberados cerca de R$ 390 milhões para os contratos de opção. Estes contratos serão um comprometimento do Governo Federal para com os cafeicultores. Está previsto um preço de R$ 360 para a saca de café que o Governo iria adquirir junto aos produtores por um tempo determinado. Após este período, se o preço do café superar este valor, o produtor negociará diretamente com o mercado e caso esteja com um preço inferior a R$ 360 a saca, o produtor poderia entregar o café para o Governo, que se comprometeria a comprá-lo por este valor”, explicou o deputado federal.

MATAS DE MINAS

Já o presidente da Câmara dos Municípios do Café das Matas e Leste de Minas, Admar Soares, confirmou que a assessoria de imprensa do MAPA entrou em contato com ele e convidou três representantes da Câmara para estar em Brasília durante a entrevista do ministro Antônio Andrade. Ele confirmou a presença e estenderia o convite a outros dois diretores que desejassem acompanhá-lo nesta viagem.

O presidente informou que tem boas expectativas com relação ao evento, uma vez que o MAPA tem ciência das reivindicações da categoria, mas deixou claro que a Câmara continua lutando para que toda a pauta aprovada durante as duas manifestações que ocorreram em Realeza no mês de julho seja atendida.

“Temos a informação de que o Ministério da Agricultura esta concentrando suas ações na liberação de valores para atenderem os agricultores, através de financiamento para o setor. Esta não é a pauta aprovada pela Câmara. Nossa presença em Brasília é para defender as necessidades dos produtores de nossa região e deixaremos isso claro, caso as propostas oferecidas pelo ministro fiquem longe do que lutamos para conquistar”, declarou o presidente.

MEDIDAS AGUARDADAS

A proposta para o programa de sustentação de preços do café que deve ser anunciada tem como pilar a utilização de recursos do governo para os leilões de opção de venda e também os financiamentos para estocagem do café.

Aliado ao mecanismo de opções estaria a liberação de recursos do Funcafé e do Banco do Brasil na ordem de R$3 bi para um programa de estocagem prorrogável, ou seja, caso o mercado não suba a ponto de superar o valor referência estabelecido nos contratos de opção (R$360,00/saca), o produtor que não conseguiu garantir seus preços, através dos contratos poderia optar por uma prorrogação automática da estocagem.

Manhuaçu Notícia