1_pmdb_1212.jpg.g

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Antônio Andrade, assinou dois acordos na China nesta quarta-feira, 6 de novembro, durante a reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban), em Pequim, na China. O primeiro trata de exportação de milho brasileiro ao país asiático e, o outro, de biotecnologia.

O protocolo assinado entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da República Popular da China (Aqsiq) permite a exportação de milho brasileiro para a China.

Com base nas garantias fitossanitárias negociadas, o Mapa emitirá um Certificado Fitossanitário que irá amparar as exportações a serem realizadas.

Nos últimos anos, a China vem importando volumes crescentes do cereal, e o Brasil, como grande produtor do grão, tem perspectivas de se tornar um dos maiores fornecedores de milho para a China. No ano passado, as exportações brasileiras do produto foram de 19,8 milhões de toneladas.

Grupo de trabalho: o memorando de entendimento assinado entre o Ministério da Agricultura (Mapa) e o Ministério da Agricultura da China cria um grupo de trabalho para tratar de biotecnologia agrícola e biosegurança, o que facilita os entendimentos entre o Mapa e as autoridades chinesas nas questões envolvendo produtos geneticamente modificados.

Os dois acordos foram negociados na semana passada em Pequim durante reuniões técnicas da Subcomissão de Supervisão da Qualidade, Inspeção e Quarentena e da Subcomissão de Agricultura, no âmbito da Cosban.

Assessoria de Comunicação Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (PMDB-MG)