1_pmdb_1040.jpg.g

A discussão sobre as pesquisas para aumentar a produção de fertilizantes no Brasil é uma preocupação do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade. Ele destacou o tema durante a sessão solene em homenagem aos 79 anos do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), realizada nesta terça-feira, 9 de abril, na Câmara dos Deputados.

“Tenho interesse em discutir com o Ministério de Minas e Energia [MME] e o DNPM a respeito das pesquisas de fertilizantes que afetam diretamente a agricultura, uma cadeia produtiva fundamental para o nosso País”, destacou o ministro.

Um dos interesses do Departamento é estimular o aumento da produção de minerais utilizados na fabricação de fertilizantes. De acordo com o diretor geral da autarquia, Sérgio Dâmaso, as pesquisas em mineração foram fundamentais para que o Centro-Oeste se transformasse na atual potência agrícola. “Nessa região, antigamente não se produzia nada. Por que produz grãos hoje? Por causa da mineração, por causa do potássio. É a mineração presente no apoio à agricultura”, destacou. O Brasil é carente de fertilizantes e o aumento da oferta desses bens minerais pode aumentar a produtividade das áreas plantadas e diminuir o custo dos alimentos para a população.

Durante a sessão solene, Sérgio Dâmaso destacou que essa pode ser a última homenagem ao Departamento, que será convertido em agência reguladora a partir da publicação do novo Código de Mineração.

O DNPM, vinculado ao MME, é o órgão governamental encarregado de gerir e fiscalizar o exercício das atividades de mineração em todo o Brasil, cuidando para que o aproveitamento dos recursos minerais seja realizado de forma racional, controlada e sustentável, resultando em benefício para toda a sociedade.

Assessoria de Comunicação Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (PMDB-MG)