20170517_105133

Projetos de Lei de autoria do governo estadual, que tramitam em regime de urgência, continuam travados na Assembleia Legislativa de Minas Gerais – ALMG. O trabalho de obstrução da oposição tem impedido o andamento das matérias e dificultado a votação de outras proposições.

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça da ALMG, deputado Leonídio Bouças (PMDB), afirma que o processo de obstrução é natural dentro do parlamento. Na reunião da Comissão, realizada nesta quarta-feira (17), projetos não foram apreciados por falta de quórum. “Não devemos considerar isso, de maneira alguma, como uma afronta. No parlamento há o ato de discutir. Aquilo que a oposição não consegue por meio do voto, ela procura fazer via obstrução”, explicou.

Ainda segundo Leonídio, a oposição insiste em discutir mais os projetos apresentados pelo governo com os quais eles não concordam, mas sabem que, com o tempo, serão votados de qualquer maneira, mesmo para que sejam rejeitados. “O caminho deverá ser o entendimento. Nós podemos, também, iniciar esse entendimento para que projetos dos deputados possam ser votados. Como os projetos do governo estão em regime de urgência, eles obstruem o restante da pauta, já que estão em faixa constitucional. Portanto, a única saída dentro do parlamento é o entendimento”, concluiu o parlamentar.