IMG

Três dos quatro suspeitos pela morte do fisiculturista setelagoano Allan Pontelo foram presos na última terça-feira (24). O laudo da perícia, segundo informações conseguidas pelo Jornal O Tempo, aponta a causa da morte como estrangulamento. Isso reforça a versão da família de Allan, de que o jovem teria sido espancado por seguranças da boate Hangar 677, causando, assim, seu falecimento. Estão presos Delmir de Araújo Dutra, Carlos Felipe Soares e Paulo Henrique Pardin de Oliveira. Há ainda um quarto suspeito que está foragido.

As investigações sobre a causa da morte do fisiculturista foram agilizadas após intervenção do deputado estadual Douglas Melo. A família do jovem procurou o deputado algumas semanas após o ocorrido, e foi levada, no dia 21 de setembro, para uma reunião com o superintendente da Polícia Civil, Márcio Lobato, e a chefe de departamento da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, Cristina Coelli. O pai, a namorada de Allan e o advogado da família estiveram presentes no encontro. Na reunião, Douglas solicitou às autoridades da Polícia Civil mais agilidade nas investigações.

Com a conclusão do laudo da necropsia e a prisão de três suspeitos, o parlamentar reiterou seu apoio à família de Allan. “Agradeço mais uma vez a Polícia Civil pelo empenho nas investigações. Continuarei acompanhando todos os desdobramentos do caso e cobrando ações para que a justiça seja feita”, disse Douglas Melo.