post_4-1

O PMDB-MG realizará, na próxima sexta-feira (05/08), às 19h, na Câmara Municipal de BH, sua Convenção Municipal. O evento ratificará o nome de Rodrigo Pacheco como candidato à prefeitura de Belo Horizonte.

Diversas autoridades comparecerão ao encontro, como o vice-governador e presidente do partido no Estado, Antônio Andrade, deputados, vereadores e lideranças políticas da cidade. O presidente da Câmara Municipal, Wellington Magalhães, também marcará presença.

Votação

Votam na convenção: membros da Comissão Provisória do partido, parlamentares com domicílio eleitoral em Belo Horizonte e membros do diretório estadual com domicílio eleitoral na capital mineira, o que totaliza 39 votos.

A chapa de vereadores do partido será completa – 62 vereadores

Rodrigo Pacheco

Rodrigo Pacheco tem 39 anos. Nasceu em Porto Velho (RO), mas se mudou juntamente com a família, logo após seu nascimento, para Passos, no Sul de Minas Gerais. Mudou-se para Belo Horizonte aos 13 anos. É advogado, formado pela PUC Minas, há 16 anos e deputado federal (PMDB-MG) há dois anos.

É filho de professora e de pai comerciante. Como advogado, trabalhou no escritório de advocacia de Ariosvaldo Campos Pires. Foi defensor dativo da Justiça Federal, atendendo a pessoas carentes, e membro do Conselho de Criminologia e Política Criminal do Estado de Minas Gerais, além de auditor do Tribunal de Justiça Desportiva e professor universitário.

Na Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Minas Gerais (OAB-MG), Rodrigo Pacheco foi conselheiro seccional por dois mandatos e presidente da Comissão de Defesa, Assistência e Prerrogativas dos Advogados. Em 2012, foi eleito Conselheiro Federal da OAB por Minas Gerais. No Conselho Federal, foi também presidente da Comissão Nacional de Apoio aos Advogados em Início de Carreira.

Em 2014, foi eleito deputado federal pelo PMDB de Minas Gerais com 92.743 mil votos, sendo votado em 667 municípios mineiros. Em seu primeiro mandato, passou a coordenar a bancada do PMDB na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), tornando-se primeiro vice-presidente da Comissão.