1_pmdb_901.jpg.g

Depois de uma rigorosa análise sobre o real estado em que encontrou o município de Periquito, o prefeito eleito, Geraldo Martins Godoy, decretou estado de emergência administrativa na cidade.

A situação, que é atual mesmo tendo sido detectada no princípio da administração, trouxe grandes transtornos para a administração. O Governo Municipal encontra, atualmente, dificuldades para prestar e manter serviços públicos essenciais à população. Uma vez que, não há materiais, contratos e pessoal suficientes.

O problema ainda é mais grave por haver, em Periquito, um alto nível de infestação pela dengue. Há poucos veículos em condições de uso e, estimativas mostram que, a dívida municipal, junto a servidores e fornecedores, chegue à casa dos R$ 2 milhões.

Segundo o Prefeito, a previsão é de que a qualidade dos serviços só melhore daqui a 60 dias. “Atualmente, o município encontra-se em calamidade. Estamos buscando recursos junto ao Governo Estadual e Federal. Mas, a situação é alarmante. Há previsão de muitas chuvas, as estradas vicinais estão ruins, vivenciamos uma epidemia de dengue. Dívidas, processos judiciais e trabalhistas. Esta é a nossa realidade”, contou.

Assessoria de Comunicação Prefeitura de Periquito (PMDB-MG)