Deputados

Deputados

Na última terça-feira (09), o plenário da Assembleia Legislativa aprovou, durante reunião extraordinária, sete projetos que integram a reforma administrativa proposta pelo Governo de Minas. Cinco proposições extinguem órgãos da administração pública e as outras duas modificam as funções da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais e altera o estatuto dos funcionários públicos civis do Estado.

Os projetos que propõem a extinção do Departamento Estadual de Telecomunicações (Detel), do Escritório de Representação do Governo do Estado em Brasília, do Instituto de Geoinformação e Tecnologia (Igtec), do Departamento de Obras Públicas do Estado (Deop) e da Imprensa Oficial já receberam pareceres favoráveis de 2º turno da Comissão de Administração Pública, portanto estão prontos para última votação em plenário.

Também está pronto para ser votado em 2º turno o projeto que cria novas atribuições para a Codemig e altera também as competências da Companhia de Tecnologia de Informação do Estado (Prodemge) e da Minas Gerais Administração e Serviços (MGS), e o projeto que inclui o ato de improbidade administrativa como ilícito sujeito a pena disciplinar de demissão do servidor público.