1_pmdb_1039.jpg.g

Qualidade de serviço de celular em debate

O alto número de reclamações no Procon e no Disque Câmara será debatido hoje na Câmara Federal em duas comissões. Os deputados propõem fiscalizar quais são as ações que as empresas de telefonia móvel estão tomando para garantir a melhoria de qualidade de seus serviços.

Campeãs de reclamações, as empresas de telefonia móvel brasileiras TIM, Oi e Claro tiveram a venda de chips suspensa por 11 dias no início do ano por uma regulamentação da Anatel. De acordo com o PROCON, foram mais de 78 mil queixas, motivadas principalmente pelo tratamento dado aos consumidores nos serviços de atendimento pelo telefone e pela a cobrança indevida de contas somente no primeiro semestre de 2012.

O serviço Disque Câmara fez uma enquete sobre o serviço de telefonia e constatou este é o segmento mais problemático para 45% dos entrevistados (1.175 pessoas) entre maio e agosto do ano passado. As principais queixas foram cobranças abusivas, serviços ineficientes e propaganda enganosa.

O deputado federal Leonardo Quintão ressaltou que o serviço de telefonia é uma concessão pública e que é dever das empresas oferecer o melhor atendimento. “Acho correta a suspensão de serviço imposta pela Anatel. Temos que fiscalizar e cobrar das empresas o melhor desempenho para os clientes. A telefonia é uma das áreas com maior crescimento no país e toda avaliação deve ser feita cautelosamente visando o direito do consumidor”.

Foram convidados para participar do debate:

– o conselheiro da Anatel Rodrigo Zerbone;

– o secretário de Fiscalização de Desestatização e Regulação de Energia e Comunicações (SefidEnergia), Marcelo Barros da Cunha;

– o diretor-executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), Eduardo Levy Cardoso Moreira – que representará as empresas Claro, Oi, Tim, Vivo, GVT, Telemar e NET.

Assessoria de Comunicação Deputado Federal Leonardo Quintão (PMDB-MG)