14-06 Secretaria da Mulher da Unale discute sexismo e violência contra a mulher

A União Nacional de Legisladores e Legislativos Estaduais – Unale realizou, na última semana, em Foz do Iguaçu, no Paraná, a XXI Conferência Nacional de Legisladores e Legislativos Estaduais – CNLE. Com o tema “O Brasil e suas reformas, o maior evento de parlamentares da América Latina” promoveu, por meio do intercâmbio de ideias, o fortalecimento do poder legislativo nos estados.

Na ocasião, a Secretaria da Mulher da Unale, apresentou painel que discutiu ações de prevenção e combate ao sexismo, machismo e violência contra a mulher. A deputada Celise Laviola (PMDB), que preside a Secretaria da Mulher da Unale, prestigiou a conferência e ressaltou a necessidade de discutir o tema. Segundo a parlamentar, a discriminação por gênero é um sintoma histórico na sociedade brasileira. “Além de enfrentar dificuldades no mercado de trabalho e exercer baixa representatividade na vida pública, convivemos, ainda, com a violência contra a mulher, que é algo que sempre existiu. Para mudar essa realidade, precisamos mudar o modo como vemos e enfrentamos este cenário”, disse.

O painel contou com a participação do psicólogo Daniel Costa Lima. Na oportunidade, ele esclareceu que quando se fala em gênero ou violência contra a mulher é necessário pensar em ações tanto para homens quanto para mulheres. “Inicialmente precisamos pensar como homens e mulheres são socializados e educados, como somos construídos socialmente, estou falando de direitos iguais e de um movimento que busca a igualdade de gênero e equilíbrio do papel de cada um na sociedade”, explicou.

A Secretaria da Mulher da Unale é um órgão que visa tratar temas de interesse da mulher e da familia, sua proteção e empoderamento bem como sua maior e efetiva participação na política.

Presidência

Durante o evento ocorreu a eleição da nova diretoria executiva da Unale. A deputada Celise Laviola, que presidiu a Secretaria das mulheres entre 2015 e 2017, foi reconduzida ao cargo e comandará a Secretaria pelos próximos dois anos.