image005

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Altamir Rôso (PMDB), esteve na última sexta-feira (20), em Uberlândia (Triângulo Mineiro), onde se encontrou com a diretoria do grupo Algar e com o prefeito Gilmar Machado. Na ocasião, Rôso assinou documento de apoio ao empreendimento do bairro Granja Marileusa, que vai sediar 1.500 moradias em 450 mil metros quadrados. O empreendimento na zona leste da cidade envolve outras construções e estará dentro de uma área de 750 mil metros quadrados e investimentos privados de R$85 milhões. Nos próximos três anos, a expectativa é de que haja uma movimentação econômica de R$700 milhões.

O bairro Granja Marileusa, em Uberlândia (MG), foi estruturado como um empreendimento aberto, englobando local de trabalho, comércio, serviços, residência e espaços de convivência como cinema, restaurantes, parques, hotéis, escolas, padarias, supermercados, farmácias e áreas verdes. O projeto do grupo Algar demonstrou que as 100 primeiras unidades residenciais serão de responsabilidade da Realiza Construtora. Ainda em 2014 deverá ser entregue o primeiro centro comercial do bairro, denominado Map Mall, com área de 7 mil m². O espaço comercial vai oferecer serviços de padaria, supermercado, escola de idiomas, laboratório de análises clínicas e restaurante.

Em outra área do novo bairro serão realizadas as obras do loteamento do residencial Alphaville. A previsão de entrega dos primeiros lotes é o próximo ano, com outras 110 unidades residenciais do segundo condomínio da Realiza Construtora. Nessa primeira fase do empreendimento, os investimentos chegam a R$ 85 milhões e a expectativa é gerar negócios na ordem de R$ 700 milhões, agregando unidades residenciais e comerciais na totalidade da área de 750 mil m².

O secretário estadual afirmou que o Estado de Minas Gerais aprova o arrojado projeto Granja Marileusa, que visa à geração de novos postos de trabalho, o incremento da arrecadação de impostos, o desenvolvimento econômico da cidade e a qualificação da mão de obra local. “É um grande investimento imobiliário no Estado de Minas Gerais. Um projeto que tem todo o apoio do governo, em especial da nossa secretaria”, afirmou.

No bairro já funciona um prédio com lajes corporativas, de 3.800 m² de área construída, onde trabalham cerca de 600 pessoas. O empreendimento foi projetado para ser um espaço multiuso, com 700 postos de atendimento. Para 2016 também está prevista a entrega do segundo prédio com lajes corporativas, com cerca de 10 mil m² de área construída e 800 postos de atendimento. Outro prédio comercial, com cerca de 6.500 m² de contrução e espaço para em torno de 600 postos de trabalho, deve ser entregue no final do ano que vem. Está previsto ainda um local onde acontecerão eventos culturais, exposições e uma feira orgânica semanal.

Também está prevista a instalação de ponto para ônibus coletivo, internet com Wi-Fi, tomadas de USB para recarga de celulares, mobiliário urbano de uso comum, entre outros itens para melhoria na qualidade de vida dos futuros moradores e usuários do empreendimento.

Polo de Tecnologia

Para atrair novos negócios, o projeto foi homologado como o primeiro micro polo tecnológico de Uberlândia. Esta formalização torna o local mais atraente a instalação das empresas de tecnologia, pois há possibilidade de receberem incentivos fiscais.

O empreendimento é uma parceria entre o grupo Algar, a Urban Systems, especializada em análise de dados demográficos em mapas digitais, e a empresa De Fournier Arquitetura e Urbanismo, que reúne arquitetos e urbanistas. Granja Marileusa está localizado próximo às instalações da Algar Holding, Algar Tecnologia e Unialgar, próximo de importantes pontos de referência da cidade, como o Parque Sabiá, aeroporto, distrito industrial, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Hospital das Clínicas, Prefeitura e o centro da cidade.

O grupo Algar é um dos mais tradicionais de Minas Gerais com atuação diversificada nas áreas de tecnologia, aviação, mídia, segurança, hotéis, entre outros. As subsidiárias do grupo agregam em torno de 24 mil funcionários, servindo aproximadamente dois milhões de clientes em todo o Brasil e América Latina. Alguns protocolos de intenções estão em andamento com o Estado, mais especificamente no Instituto de Desenvolvimento Integrado (Indi), instituição vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE). O valor chega a quase R$700 milhões e a geração de quase 12 mil empregos.