IMG-20170322-WA0027

Com o objetivo de salvar o patrimônio do clube Sírio Libanês em Uberaba, o deputado estadual Tony Carlos (PMDB) se reuniu nesta quarta-feira (22), na sede da Cemig, em Belo Horizonte, para tratar a respeito de uma dívida avaliada em R$334 mil do referido clube com a Companhia. Por conta disso, a empresa já estava com tudo preparado para solicitar o leilão do prédio.

Participaram do encontro o presidente do Sírio, Paulo de Tarso Mauad “Babula”; os diretores, Renê Daher, Roberto Nunes e Adolfo Pereira, além do superintendente de Relacionamento Institucional da Cemig, Anderson Ferreira; e diretores financeiros e jurídicos da empresa.

Tony Carlos explica que em março de 2015, a Companhia ajuizou ação na Justiça pedindo a penhora do prédio do clube como forma de receber as dívidas de contas de energia daquela época, no valor de R$83.226 mil. Hoje, o montante está avaliado em R$334.105 mil. No entanto, como o Sírio não conta com nenhuma espécie de renda mensal, seja por meio de sócios, aluguel de academia e espaço, não é possível que esse valor seja pago em parcela única.

“A Justiça aceitou a penhora para que o prédio seja colocado a leilão, mas a Cemig ainda tem interesse em negociar esse débito. Assim, a empresa propôs a diluição dos R$334 mil em 60 parcelas de R$5.566. Enquanto o clube acredita na possibilidade do parcelamento em 180 meses, diminuindo assim o depósito mensal para menos de R$2 mil”, explicou o parlamentar.

O deputado afirma que após esse encontro preliminar, o processo de leilão não deve ir adiante em caráter imediato. “O Sírio não tem nenhum tipo de renda, afinal está interditado pelo Corpo de Bombeiros devido a algumas irregularidades na infraestrutura. A diretoria propôs o pagamento desta maneira e o mesmo será avaliado pela equipe técnica da Cemig. Queremos colaborar com esse clube que possui 92 anos de história em Uberaba. É nossa obrigação lutar em conjunto para reerguermos o Sírio”, afirmou Tony Carlos.